Bolívia e Brasil fortalecem a integração elétrica com novos acordos estratégicos

UCOM MHE 09-07-2024.-  Mediante um acordo bilateral, Bolívia e Brasil avançam em acordos estratégicos para fomentar o desenvolvimento da integração elétrica, através da implementação de interconexões de alta capacidade em localidades das regiões fronteiriças de ambos os países.

Este acordo, assinado pelo Ministro de Hidrocarbonetos e Energias da Bolívia, Franklin Molina Ortiz, e seu homólogo de Minas e Energia do Brasil, Alexandre Silveira de Oliveira, busca a integração elétrica através da implementação de interconexões que beneficiarão tanto as comunidades brasileiras quanto bolivianas.

A assinatura do Memorando de Entendimento (MdE) facilitará várias iniciativas chave: desenvolver estudos de viabilidade para interconexões elétricas de grande porte e para áreas fronteiriças entre Brasil e Bolívia, assim como estabelecer modalidades comerciais de intercâmbio  internacionais de energia.

Além disso, o MdE permitirá a adequação das normas internas de ambos os países relacionadas com o funcionamento de seus mercados de energia elétrica, facilitando assim a interconexão elétrica bilateral.

Quanto à materialização da troca de energia elétrica, avançará com a interconexão entre Germán Bush na Bolívia e Corumbá no Brasil. A proximidade dos sistemas elétricos de ambos os países permitirá uma troca inicial de até 420 MW (megawatts) na Fase 1 e potencialmente até 1000 MW na Fase 2, que se conectaria com a subestação Jirau.

Será viabilizada também a interconexão do norte amazônico em duas fases: a Fase 1 estabelecerá uma interconexão elétrica a 34,5 kV (quilovolts) com a rede de distribuição de Energisa Acre e Energisa Rondônia no Brasil, enquanto a Fase 2 aumentará a capacidade para 132 kV. Esta infraestrutura permitirá mover até 50 milhões de litros, equivalentes a US$ 69 milhões anuais a partir de 2025.